FOHB e HotelInvest apresentam a 17ª edição do Panorama da Hotelaria Brasileira

Pesquisar

Compartilhe

Documento traz dados da indústria de hospitalidade nacional entre os anos de 2019 e 2022 além de perspectivas futuras

O FOHB-Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil, em parceria com a HotelInvest, acaba de lançar a 17ª edição do Panorama da Hotelaria Brasileira apresentando o cenário da indústria de hospitalidade nacional assim como as perspectivas para os próximos anos. Esse tradicional estudo tem o objetivo de fornecer dados e respectivas análises para a decisão de líderes de redes hoteleiras e investidores na indústria do turismo.

O documento apresenta a evolução dos principais indicadores hoteleiros – taxa de ocupação, diária média e receita por apartamento- entre 2019 e 2022 nas capitais brasileiras que possuem ao menos cinco hotéis com a mesma base histórica do período estudado.

Nesse sentido é igualmente possível conhecer o desempenho mensal das dez capitais mais importantes no turismo nacional e estabelecer correlações com diferentes regiões. O Panorama da Hotelaria Brasileira ainda fornece a média móvel da diária média e da ocupação dos últimos doze meses de acordo com a capital selecionada.

São previstos até 2027 investimentos na ordem de R$ 5,7 bilhões com foco em hotéis na categoria midscale e luxo, sobretudo no Sudeste e Sul do Brasil. Nota-se também um crescimento nos contratos no modelo de franquia, embora a preferência do mercado nacional seja ainda pelos hotéis administrados por redes hoteleiras.

Para Orlando de Souza, presidente executivo do FOHB, “apesar do primeiro trimestre de 2022 ter sido prejudicado pela variante ômicron, o desempenho da hotelaria nacional foi melhorando gradativamente por conta da demanda de negócios e eventos que destravou ao longo do ano. No último trimestre, foram vistos níveis de ocupação, diária média e RevPAR bastante robustos e acima da média de 2019. Apesar da média do RevPAR de 2022 ainda não ter atingido o patamar de 2019 na maioria das cidades analisadas, a evolução dos dados mais recentes da média móvel e dados preliminares de 2023 indicam um nível superior ao do pré-pandemia, resultado que deve se consolidar ao longo do ano.”

Já Cristiano Vasques, sócio da HotelInvest, aponta que “ a alta do custo de construção está inviabilizando os novos hotéis que estão sendo estudados atualmente. Isso porque o INCC avançou 35,4% desde o início de 2020 e alguns mercados hoteleiros não conseguiram ao menos reajustar os 21,7% da inflação para o mesmo período. Além disso, com a SELIC em um patamar alto, o custo de oportunidade dos investidores qualificados também aumenta, fazendo com que eles reavaliem a alocação dos seus investimentos. Essa pode ser uma boa oportunidade de incremento de tarifa para os hotéis que já estão em operação, uma vez que não há um número expressivo de nova oferta e os mercados devem ser ainda mais pressionados pela demanda.”

Além do relatório no formato usual, o Panorama 2023 conta com uma ferramenta interativa que permite a navegação personalizada nos dados através do Power BI. Com um histórico detalhado das cidades aprofundadas no estudo, assim como de outras capitais, agora é possível mergulhar em diversas informações sobre o desempenho dos mercados dos últimos anos.
 
O estudo completo pode ser acessado aqui.

Leia também

B2B.reservas se torna mantenedora do FOHB

A B2B.reservas, travel tech brasileira líder em distribuição corporativa no país, torna-se mantenedora do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), entidade que reúne as mais importantes redes hoteleiras com